ESTRATÉGIAS

Print Friendly

Apoio privado à ciência

ED. 242 | ABRIL 2016

 

João Moreira Salles: instituto com dotação inicial de R$ 20 milhões

João Moreira Salles: instituto com orçamento anual de R$ 20 milhões

O documentarista e jornalista João Moreira Salles e sua mulher, Branca, anunciaram a criação de um instituto privado de apoio à ciência. Organizado como associação civil com sede no Rio de Janeiro, o Instituto XY (nome provisório) irá trabalhar com orçamento anual de R$ 20 milhões a partir de uma doação inicial feita pelo casal. João é um dos filhos do empresário e banqueiro Walther Moreira Salles (1912-2001). Comum em países como os Estados Unidos, esse modelo de financiamento, conhecido como endowment funds, é composto por doações cujos rendimentos são investidos em pesquisa, infraestrutura e bolsas. “O objetivo é apoiar projetos de pesquisa e de divulgação científica no âmbito das ciências e da matemática”, disse à Agência FAPESP o economista Rodrigo Fiães, encarregado de organizar o instituto e selecionar seu diretor executivo. A ideia surgiu em 2010, quando Salles dava aulas no curso de cinema da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio). Ele verificou que, naquele ano, a instituição havia formado três físicos, dois matemáticos e 27 bacharéis em cinema. “A taxa de formação de engenheiros no Brasil é inferior à da China, da Índia e da Rússia, países emergentes com os quais competimos”, escreveu em artigo publicado em 2010 no jornal Folha de S.Paulo. Nos últimos anos, Salles promoveu encontros com pesquisadores e visitou agências de apoio no Brasil, como a FAPESP, e em outros países, como o Instituto Fraunhofer, na Alemanha, a fim de levantar ideias para a consolidação do instituto. O XY deve começar a funcionar neste ano.


Matérias relacionadas

CAPA
Estratégia da FAPESP busca equilíbrio em colaborações internacionais
HUGO AGUILANIU
Instituição privada vai investir em pesquisas de caráter inovador no país
PESQUISA BRASIL
Mapa da ciência, fungo e sapos, apoio à pesquisa e escravidão