guia do novo coronavirus
Imprimir PDF Republicar

Agrotóxicos

Exposição de risco

O estudo “Trabalho rural e intoxicações por agrotóxicos”, de Neice Faria, Luiz Facchini, Anaclaudia Fassa e Elaine Tomasi, da Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Pelotas (UFPel), teve o objetivo de construir um perfil da exposição aos agrotóxicos por parte dos trabalhadores rurais e analisar a incidência de intoxicações por estes produtos. “Apesar de o uso de agrotóxicos na agricultura brasileira ser intenso, são escassos os estudos de base populacional sobre as características de sua utilização ou sobre as intoxicações”, justificam os autores à realização da pesquisa. Foram avaliadas as características da propriedade e da exposição aos pesticidas. Entre 1.379 agricultores, a incidência anual de intoxicações por agrotóxicos foi de 2,2 episódios por cem trabalhadores expostos. “O levantamento evidenciou que entre as várias formas de exposição, aplicar agrotóxicos, entrar na cultura após aplicação e trabalhar com agrotóxicos em mais de uma propriedade se mostraram associadas a um aumento no risco de intoxicação”, diz o artigo. “No Brasil, entre 1997 e 2000, houve um aumento médio de 18% nas vendas de agrotóxicos, com destaque para os herbicidas, cujas vendas cresceram 31%”, dizem os pesquisadores. Segundo dados do Sistema Nacional de Informações Tóxico-Farmacológicas (Sinitox), no ano 2000, por exemplo, os pesticidas de uso agrícola foram responsáveis por 37% dos óbitos por intoxicação no país. “Além disso, ao se agruparem esses casos com aqueles causados por pesticidas de uso doméstico, produtos veterinários e raticidas, os pesticidas se tornam responsáveis por 57% dos óbitos por intoxicação”, estimam os autores do artigo.

Cadernos de Saúde Pública, vol. 20, nº 5, Rio de Janeiro, set./out. 2004

www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2004000500024&lng=pt&nrm==

Republicar