guia do novo coronavirus
Imprimir PDF Republicar

Fôlego feminino

Fôlego feminino

Das 19.678 solicitações iniciais de apoio à pesquisa apresentadas à FAPESP em 2010, 42% partiram de mulheres. O percentual tem crescido continuamente desde 1992, quando era de 30%. Segundo levantamento divulgado em março pela FAPESP, a taxa de sucesso global, definida como o número de propostas aprovadas dividido pelo de propostas analisadas, foi, em 2010, de 61% para as mulheres e de 60% para os homens. Para as áreas de Ciências da Saúde, Agrárias e Engenharias, houve forte crescimento na proporção de mulheres. Em Ciências da Saúde, avançou de 34% em 1992 para 54% em 2010; em Ciências Agrárias, foi de 23% a 40%. No caso das Engenharias, a participação feminina quase triplicou, passando de 8% para 22% no período. Nas áreas de Ciências da Saúde, Ciências Humanas e Linguística, Letras e Artes mais da metade dos solicitantes é do sexo feminino. Em Ciências Biológicas, a tendência é de crescimento na participação das mulheres, que passou de 42% em 1992 para 48% em 2010. Entretanto, há um decréscimo do número de solicitantes mulheres nas áreas tradicionalmente com forte presença feminina, como Ciências Humanas, que caiu de 56% em 1992 para 52% em 2010, e Linguística, Letras e Artes, que passou de 57% para 52% no período. Mais informações sobre o levantamento estão disponíveis em www.fapesp.br/publicacoes/indicadores/032011b.pdf.

Republicar