guia do novo coronavirus
Imprimir PDF Republish

Fibra óptica na usina

Fibra óptica na usina

Eletrobras EletronorteLaser e sensores medem temperatura do gerador da Hidrelétrica de Samuel, em RondôniaEletrobras Eletronorte

Trocar fios de cobre por cabos de fibras ópticas é uma tendência cada vez mais presente na área de telecomunicações. Uma das novidades é o uso de fibras para o monitoramento remoto de equipamentos de usinas hidrelétricas. “Usamos a luz [laser] para medir a temperatura dos geradores da Usina Hidrelétrica de Samuel, em Rondônia”, diz o professor Marcelo Werneck, do Programa de Engenharia Elétrica do Instituto de Pós-graduação e Pesquisa de Engenharia (Coppe) da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), que coordenou o projeto. Ele explica que são colocados sensores impressos no núcleo 
da fibra para fazer a medição. A vantagem desses dispositivos é que eles são isolantes, não conduzem eletricidade como os fios de cobre e, portanto, são imunes ao campo elétrico existente próximo aos geradores e outros equipamentos da usina, além de uma fibra substituir vários fios de cobre. “O próximo passo é usar, num projeto com a Petrobras, as fibras com sensores para medir os gases na exploração de petróleo no fundo da camada pré-sal, num local onde não é possível usar corrente elétrica em razão do risco de explosões”, diz Werneck.

Republish