TECNOCIÊNCIA

Print Friendly

Tratamento para efluentes têxteis

ED. 78 | AGOSTO 2002

 

Um novo material em forma de pó, à base de alumínio e magnésio, demonstrou ser econômico e eficaz para eliminar a coloração de efluentes da indústria têxtil. Segundo o professor Oswaldo Luiz Alves, coordenador do Laboratório de Química do Estado Sólido do Instituto de Química da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e orientador do trabalho, poucas horas após ser feita a mistura do pó com o efluente, 98% da cor da tintura remanescente do processo industrial é eliminada. Segundo o professor, o carvão ativo, empregado nas mesmas condições, consegue eliminar apenas 50%.

O material já foi testado com um efluente real de uma indústria têxtil da região de Campinas, e os resultados obtidos confirmaram os testes de laboratório. Alves ressalta que esse material pode ser reciclado por cinco vezes, no mínimo, sem perder a eficácia. A Unicamp já depositou o registro de sua patente. O estudo fez parte da dissertação de mestrado de Odair Pastor Ferreira, que recebeu recentemente o Prêmio Unesco-Orcyt de Teses de Mestrado Defendidas em Instituições Acadêmicas do Mercosul Ampliado, na modalidade Química.


Matérias relacionadas

Especial IAC 130 anos
ASTROFÍSICA
A provável origem dos raios cósmicos ultraenergéticos
Folheie a edição 259