Imprimir PDF

Estratégias

O modelo climático brasileiro

DANIEL BUENOUm workshop realizado na FAPESP no dia 19 de fevereiro apresentou os primeiros resultados de simulações feitas com o Modelo Brasileiro de Sistema Terrestre, um programa de computador pioneiro no país capaz de projetar cenários climáticos a partir de dados coletados no Brasil (ver Pesquisa FAPESP nº 177). Segundo Paulo Nobre, pesquisador do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) e um dos coordenadores do projeto, o desenvolvimento do novo modelo já possibilitou melhorar, por exemplo, a previsão de precipitação. “Houve um aumento generalizado da melhoria da previsão tanto de temperatura da superfície das águas do Atlântico Sul como da América do Sul”, afirmou. Outro resultado foi a constatação de que o desmatamento da Amazônia aumenta a possibilidade de ocorrência de El Niño (fenômeno caracterizado por um aquecimento anormal das águas superficiais no oceano Pacífico tropical, capaz de afetar o clima regional e global). “Este foi um resultado que o modelo verificou mesmo sendo uma versão preliminar, de baixa resolução”, disse Paulo Nobre. O modelo está sendo desenvolvido por pesquisadores de diversas instituições, integrantes do Programa FAPESP  de Pesquisa em Mudanças Climáticas Globais, da Rede Brasileira de Pesquisa em Mudanças Climáticas Globais (Rede Clima) e do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia sobre Mudanças Climáticas.

Republicar