Imprimir PDF

Psicologia

Os efeitos do estresse

Identificar, segundo o gênero, os índices de saúde mental e os fatores psicossociais de risco em trabalhadores de uma universidade pública brasileira é o objetivo do artigo “Gênero e estresse em trabalhadores de uma universidade pública do Estado de São Paulo”, escrito por Maria Areias e Liliana Guimarães, do Departamento de Psicologia Médica e Psiquiatria da Faculdade de Ciências Médicas da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). “A realização desta pesquisa, feita a partir de uma amostra composta de homens e mulheres pertencentes a estratos ocupacionais similares, possibilitou aferir diferenças significativas relativas às repercussões do estresse”, justificam as autores do estudo. A pesquisa envolveu uma amostra composta por 400 trabalhadores, 253 do sexo feminino e 147 do masculino, que responderam um questionário sobre os níveis de estresse no trabalho. Os dados obtidos por meio de questionários evidenciam que os fatores psicossociais de risco encontram-se relacionados ao estresse nas três dimensões estudadas: pessoal, do trabalho e social. Na amostra em questão, as mulheres apresentaram um maior nível de estresse pessoal. “As participantes do gênero feminino possuem mais fatores psicossociais de risco, estresse no trabalho, estresse social e pior saúde mental do que os do gênero masculino, com maior risco de adoecimento físico ou mental”, revelou o estudo. O artigo mostra que este fato se justificaria, de acordo com pesquisas realizadas anteriormente com trabalhadores da mesma universidade, pelo fato de as mulheres apresentarem mais estressores externos do que os homens, fazendo com que elas estejam mais expostas aos efeitos danosos do estresse.

Psicologia em Estudo – VOL.9 – Nº2 – Maringá – MAIO/AGO. 2004

www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-73722004000200011&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt

Republicar