Imprimir

partenogênese

Filhos da mãe

Fêmea virgem de dragão de Komodo gera filhotes de forma assexuada

Eclosão de um dragão de Komodo (Varanus komodoensis) a partir de um ovo produzido assexuadamente

Ian StephenEclosão de um dragão de Komodo (Varanus komodoensis) a partir de um ovo produzido assexuadamenteIan Stephen

Apesar de nunca ter tido contato com um macho de sua espécie, Flora, uma fêmea de dragão de Komodo (o maior lagarto do mundo) que vive no Zoológico de Chester, Reino Unido, espera o nascimento de oito filhotes. Exames de DNA feitos em três filhotes que morreram comprovaram que as crias foram produzidas por partenogênese, processo muito raro em vertebrados em que a fêmea gera descendentes sem que seus óvulos tenham sido fertilizados. A história de Flora não é a única do gênero. A vida íntima de outra fêmea desse réptil, Sugai, mantida em cativeiro no Zoológico de Londres, sugere que esses animais, hoje ameaçados de extinção, são capazes de alternar as duas formas de reprodução, sexuada e assexuada, dependendo da presença de machos em seu ambiente. Depois de ter mantido as últimas relações sexuais com um parceiro há dois anos, Sugai foi capaz de gerar quatro filhotes por partenogênese no zoológico londrino. A descoberta tem implicações na criação em cativeiro do dragão de Komodo, lagarto endêmico da Indonésia que pode passar dos 100 quilos e medir mais de 3 metros. Normalmente, os zoológicos mantêm apenas fêmeas em exibição, enquanto os machos, sem residência fixa, passeiam de um criadouro a outro a fim de fecundar várias parceiras. Segundo os autores do trabalho, manter machos e fêmeas da espécie juntos poderia evitar a partenogênese e contribuir para aumentar a diversidade genética da espécie.

O Melhor das Revistas
Destaques da Nature de 21/12/2006 (Vol. 444, N°. 7122)
Cientistas mostram que o dragão de Komodo pode se reproduzir sem sexo, por partenogênese
Edição Online – 20/12/2006

Republicar