Imprimir PDF

monoposto

Carro elétrico em expansão

feiMonoposto da FEI é impulsionado por 1,4 mil baterias usadas em celularfei

Iniciativas em todo o mundo fortalecem o uso do carro elétrico. No Brasil surgiu o primeiro carro elétrico para competições. Ele supera os 100 quilômetros por hora com 200 volts contidos em 1,4 mil baterias de celular, do tipo íon de lítio. Foi desenvolvido no curso de engenharia mecânica do Centro Universitário da Fundação Educacional Inaciana (FEI), de São Bernardo do Campo, na Região Metropolitana de São Paulo, sob a coordenação do professor Roberto Bock. É um carro do tipo monoposto que pode rodar 30 minutos com a carga das baterias. O recarregamento dura quatro horas. O carro mede 2,7 metros e deve pesar no máximo 320 quilos com o piloto. A SAE Brasil, entidade que reúne engenheiros, técnicos e executivos ligados à indústria automotiva, marítima e aeroespacial, colaborou no desenvovimento do carro junto com as empresas WEG Motors e Magneti Marelli. A entidade anunciou uma competição em 2012 com veículos dessa categoria. Poderão participar estudantes de graduação e pós-graduação em engenharia de instituições de ensino do Brasil e do exterior. Na Dinamarca foi dado um passo importante para a popularização dos carros elétricos. A empresa norte-americana Better Place está instalando 20 postos que fazem a troca automática em dois minutos da bateria dos veículos.  Pelo GPS, o motorista encontra o posto mais próximo. O gasto é entre R$ 316 e R$ 571 por mês, de acordo com a quilometragem.

Republicar