guia do novo coronavirus
Imprimir PDF Republicar

Tecnociência

A construção da tela do futuro

Um novo tipo de tela para equipamentos eletrônicos está nascendo em Campinas. Uma equipe do Centro de Pesquisas Renato Archer (Cenpra) – antiga Fundação Centro Tecnológico para a Informática (CTI) -, do Ministério de Ciência e Tecnologia (MCT), já patenteou e continua a desenvolver um tipo de membrana para o novo display – palavra usada para designar tanto as telas de aparelhos de televisão, como de computador e de telefone celular. A tecnologia, chamada de Field Emission Display (FED), é a grande promessa para substituir parcialmente – ainda nesta década – os tubos de raios catódicos usados na TV, principalmente quando for adotado o sistema de alta definição, em gestação no Japão e nos Estados Unidos.

Os FEDs também deverão ser usados em ambientes externos, como em outdoors, e na fabricação de lâmpadas porque possuem boa eficiência luminosa, além de serem produzidos com matéria-prima que não agride a Natureza com os indesejáveis resíduos que seguem para o lixo no momento do descarte. “Os FEDs abrem novas perspectivas tecnológicas. Eles possuem condições de ocupar um importante espaço no mercado de displays planos em futuro próximo, porque aliam baixo consumo de energia elétrica – ao contrário dos displays de plasma que são grandes consumidores – e excelente qualidade de imagem em grandes áreas”, explica o pesquisador do Cenpra Victor Pellegrini Mammana.

A membrana desenvolvida pela equipe do centro ganhou no final do ano passado o único prêmio da categoria FED concedido durante o Congresso Internacional de Displays (Asia Display 2001) realizado em Nagóia, no Japão. As outras categorias, já disseminadas, são as tecnologias de cristal líquido (LCD), usada em laptops, de plasma, em TVs, e de Leds, em painéis de carro, por exemplo. O prêmio colocou o Brasil no grupo de países que possuem tecnologia em displays. A pesquisa tem a colaboração do professor Francisco Tadeu Degasperi, do Laboratório de Vácuo da Faculdade de Tecnologia de São Paulo (Fatec), e também conta com a participação da Motorola por meio de publicações conjuntas.

A expectativa é que os FEDs estejam dentro de dois anos no mercado, ocupando 1% do total da comercialização de displays no mundo, estimado em US$ 30 bilhões.

Republicar