guia do novo coronavirus
Imprimir PDF Republicar

Difusão

Acesso aberto para estimular inovação

Sander Dekker, secretário de Educação, Cultura e Ciência da Holanda: meta ambiciosa

DUTVH GOVERNMENT/VALERIE KUYPERSSander Dekker, secretário de Educação, Cultura e Ciência da Holanda: meta ambiciosaDUTVH GOVERNMENT/VALERIE KUYPERS

A União Europeia assumiu uma meta ambiciosa: até 2020, todos os artigos científicos produzidos em seus estados-membros serão disponibilizados livremente, no regime conhecido como acesso aberto. A decisão foi tomada pelo Conselho de Competitividade, órgão que reúne ministros de Ciência, Inovação, Indústria e Comércio, num encontro realizado em Bruxelas. A meta faz parte de um conjunto de recomendações, que também inclui armazenar dados de pesquisa de modo que possam ser reutilizados livremente, quando não houver restrições legais ou éticas. A decisão não busca apenas difundir os resultados de pesquisa financiada com recursos públicos. Para os ministros europeus, a circulação livre do conhecimento é parte de uma estratégia para desenvolver a economia e atrair empresas e startups tecnológicas. Eles se comprometeram, também, a aperfeiçoar a legislação sobre inovação para melhorar o ambiente de negócios. “A pesquisa e a inovação fornecem soluções para desafios sociais e econômicos do futuro”, disse Sander Dekker, secretário de Educação, Cultura e Ciência da Holanda, país que atualmente preside a União Europeia. “O acesso aberto assegura que a sociedade se beneficie tanto quanto possível das descobertas científicas.” O conselho não deu detalhes de como será feita a transição. A Liga das Universidades de Pesquisa da Europa elogiou a decisão, mas alertou que não será fácil viabilizá-la em apenas quatro anos.

Republicar