guia do novo coronavirus
Imprimir PDF Republicar

Estratégias

Acordos do Brasil com Chile e Argentina

A FAPESP firmou com o Conselho Nacional de Inovação em Ciência e Tecnologia (Conicyt), do Chile, em janeiro, um acordo de cooperação para desenvolvimento de projetos de pesquisa comuns. O primeiro deles já está acertado: seqüenciar o genoma da bactéria Leptospirillum ferroxidas, microrganismo importante na biomineração porque ajuda a purificar metais de modo mais limpo. “Além disso, essa bactéria vive em situações extremas de temperatura e acidez e será interessante conhecer seu genoma para tentar entender tal capacidade de adaptação”, explica José Fernando Perez, diretor científico da FAPESP.

O trabalho a ser feito permite a imediata integração de pesquisadores entre os dois países. “Decidimos dar um impulso maior nas relações com o Brasil abrindo novas linhas de cooperação, como esta, que foi assinada com a FAPESP”, diz Ximena Gómez de La Torre, chefe do Departamento de Relações Internacionais do Conicyt. Também com a Argentina há planos de projetos conjuntos num futuro próximo. Em novembro de 2000 foi firmado um protocolo de intenções entre a Secretaria de Ciência, Tecnologia e Desenvolvimento Econômico do Estado de São Paulo e a de Cultura e Educação da Província de Buenos Aires. Os dois acordos são importantes para o país também na área de política externa e estão sendo acompanhados pelas embaixadas brasileiras no Chile e na Argentina.

Republicar