guia do novo coronavirus
Imprimir PDF Republicar

Tecnociência

Arma contra o melanoma

Entre os vários tipos de radiação ultravioleta, a UVC é a menos comum, porque é bloqueada pelo ozônio presente na atmosfera. No entanto, com o aumento do buraco da camada de ozônio, a radiação UVC começa a preocupar a comunidade médica, já que pode causar câncer de pele. Pensando numa forma de atenuar esse perigo, uma equipe de pesquisadores da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) realizou estudos para encontrar uma substância que ampliasse a proteção aos raios UVC, uma vez que os bloqueadores solares existentes no mercado atuam nas faixas UVA e UVB.

As pesquisas apontaram que os derivados de dibenzoilmetano cumprem essa função, além de atuarem contra a proliferação de células de melanoma e tumores de mama e pulmão, conforme experiências feitas in vitro. O estudo, conduzido pelas equipes de cientistas do Centro Pluridisciplinar de Pesquisas Químicas, Biológicas e Agrícolas (CPQBA) e do Instituto de Química, recebeu menção honrosa no XXVII Concurso Prêmio Governador do Estado de 2001.

Segundo Anita Jocelyne Marsaioli, do CPQBA, esses resultados foram fruto dos esforços de sua pós-doutoranda e bolsista da FAPESP Marisa Alves Nogueira, que sempre acreditou na potencialidade dos derivados de dibenzoilmetano e foi à procura de testes e colaborações que culminaram na descoberta da estabilidade desses compostos à irradiação do tipo UVC. O próximo passo da pesquisa será o teste da substância em células tumorais de animais e pessoas.

Republicar