guia do novo coronavirus
Imprimir PDF Republicar

Mundo

Cérebros em fuga

Um estudo divulgado pelo Banco Mundial mostra que os países mais pobres do mundo são proporcionalmente os mais prejudicados com a evasão de cérebros para nações ricas. Segundo a pesquisa, entre 25% e 50% da força de trabalho de nível universitário de países como Moçambique, Uganda e El Salvador vive no exterior, em alguma das 30 nações desenvolvidas que pertencem à Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE). O porcentual chega a 80% na Jamaica e no Haiti. Já em países do Terceiro Mundo mais desenvolvidos, como Índia, China, Indonésia e Brasil, a evasão não ultrapassa 5%, ainda assim uma sangria importante. O estudo foi feito com base em recenseamentos dos 30 países da OCDE. Para Devesh Kapur, professor da Universidade do Texas e autor de um do livro sobre a fuga de cérebros, a evasão nos países muito pobres cria um círculo vicioso que perpetua a miséria. “A perda não é só de profissionais, mas de um pedaço considerável da classe média”, disse Kapur ao jornal The New York Times.

Republicar