guia do novo coronavirus
Imprimir PDF Republicar

Oceanografia

Clima de ondas ao largo da costa

O artigo “Brazilian offshore wave climate based on NWW3 reanalysis”, de Cássia Pianca e Eduardo Siegle, do Instituto Oceanográfico da Universidade de São Paulo, e Piero Luigi F. Mazzini, do College of Oceanic & Atmospheric Sciences (Estados Unidos), apresenta o clima de ondas da região ao largo da costa brasileira com base em uma série temporal de 11 anos (janeiro de 1997 a dezembro de 2007). Informações sobre o regime de ondas no Brasil são escassas e baseadas em observações ocasionais de curto período, sendo a presente análise inédita na escala espaço-temporal apresentada, de acordo com os autores. Para a definição do clima de ondas foram analisados seis setores ao longo da quebra da plataforma continental brasileira: Sul (W1), Sudeste (W2), Central (W3), Leste (W4), Nordeste (W5) e Norte (W6). W1, W2 e W3 possuem os regimes de ondas controlados pela alta subtropical do Atlântico Sul e pela passagem de frentes frias sinóticas; W4, W5 e W6 são controlados pela zona de convergência intertropical e sua oscilação meridional. As ondas mais energéticas são as geradas por ventos intensos associados à passagem de frentes frias, afetando principalmente as regiões Sul e Sudeste do país. A energia das ondas apresenta um decréscimo de sul para norte, com a sua variação anual mostrando que no período de inverno as ondas são mais energéticas nos setores W1 a W4, enquanto nos setores W5 e W6 as condições mais energéticas ocorrem nos meses de verão do hemisfério Sul.

Brazilian Journal of Oceanography – vol. 58 – nº 1 – São Paulo – jan./mar. 2010

Link para o artigo

Republicar