guia do novo coronavirus
Imprimir PDF Republicar

Flora

De volta a São Paulo

Espiguetas de Agrostis lenis: gramínea encontrada novamente no estado de São Paulo depois de 89 anos

Rodrigo RodriguesEspiguetas de Agrostis lenis: gramínea encontrada novamente no estado de São Paulo depois de 89 anosRodrigo Rodrigues

Em caminhadas na floresta, em meio a árvores e arbustos, pouca gente volta os olhos para o chão. Fazer exatamente isso tem rendido novas descobertas ao grupo do Instituto de Botânica do estado de São Paulo liderado por Tarciso Filgueiras. Ele, Rodrigo Rodrigues e Regina Shirasuna se dedicam a investigar gramíneas (capins) paulistas, como nos levantamentos feitos por ocasião da construção do Rodoanel Mario Covas. O achado mais recente é a Agrostis lenis, uma gramínea considerada extinta no estado (a última coleta fora há 89 anos) e agora reencontrada no Parque Estadual da Serra da Bocaina, próximo à fronteira com o Rio de Janeiro e Minas Gerais (Check List, janeiro). “É uma gramínea anual, pequena e delgada, por isso é de difícil coleta e identificação”, explica Rodrigues. Para identificá-la, é preciso analisar as flores – minúsculas estruturas agrupadas às centenas em cachos amarelados. Pouca gente tem paciência para isso, e também é preciso estar presente quando essa espécie floresce, entre o verão e o outono. A suposta extinção de A. lenis abrangia apenas as montanhas paulistas: há registros antigos da gramínea em outros pontos da Mantiqueira. Nos últimos anos ela não deixou de ser encontrada na região Sul (onde é mais comum), no Rio de Janeiro e em Minas Gerais, sempre em regiões serranas. De 2009 para cá, o grupo também reencontrou outras espécies e estendeu para São Paulo a distribuição de gramíneas que não constavam da lista do estado. Diante dos achados, Rodrigues ressalta a “importância do conhecimento da biodiversidade para a efetiva conservação e possível uso sustentável dessas áreas e das espécies que nelas ocorrem”.

Republicar