Guia Covid-19
Imprimir PDF Republicar

Endocrinologia

Depressão e hipotireoidismo

O estudo “Sintomas depressivos e ansiosos em mulheres com hipotireoidismo”, de Nelson Elias Andrade Junior, Maria Lúcia Elias Pires e Luiz Claudio Santos Thuler, da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, avaliou a associação entre o hipotireoidismo e a ocorrência de sintomas depressivos e ansiosos. Foi realizado um estudo do tipo caso-controle, no período de julho de 2006 a março de 2008, no qual foram incluídas 100 mulheres (50 pacientes com hipotireoidismo primário e 50 controles eutireoidianos) com idade entre 18 e 65 anos. Foram realizadas dosagens do hormônio TSH e utilizadas as escalas de ansiedade e de depressão de Beck em todos os casos e controles. Não foram verificadas diferenças significativas entre pacientes com hipotireoidismo primário e controles no que se refere às variáveis demográficas e epidemiológicas. A presença concomitante de ansiedade e depressão foi cinco vezes maior entre os casos do que entre os controles. A ocorrência de sintomas ansiosos foi cerca de três vezes maior entre os casos (40%) do que em relação aos controles (14%), enquanto a prevalência de sintomas depressivos mostrou-se 75% superior entre os casos (28%) quando comparada aos controles (16%). Não foi observada associação entre os níveis de TSH e a prevalência de sintomas de ansiedade e depressão. Este estudo caso-controle apontou maior probabilidade de pacientes com hipotireoidismo apresentarem sintomas ansiosos e depressivos em comparação a controles eutireoidianos. Em razão das altas prevalências de hipotireoidismo e depressão observadas na prática clínica, a presença de sintomas depressivos deve ser investigada em pacientes com disfunção tireoidiana e pacientes deprimidos devem ser testados com dosagem do TSH.

Revista Brasileira de Ginecologia Obstetrícia – vol. 32 – nº 7 – Rio de Janeiro – jul. 2010

Link para o artigo

Republicar