guia do novo coronavirus
Imprimir PDF Republicar

Estratégias

Desembolso recorde

Laura BeatrizA FAPESP investiu em 2008 R$ 638 milhões no apoio à pesquisa, maior desembolso na história da Fundação e 16% superior ao realizado em 2007. De 2001 a 2008 a Fundação investiu R$ 3,9 bilhões em projetos de pesquisa. Esse desempenho acompanha a evolução da transferência de 1% da receita tributária do estado de São Paulo para a Fundação, como determina a Constituição estadual. No período, a soma de recursos das transferências do Tesouro do Estado foi de R$ 3,3 bilhões, passando de R$ 271,4 milhões, em 2001, para  R$ 623,4 milhões em 2008. Em 2008 a receita total da FAPESP – que compreende ainda recursos próprios e advindos de convênios – foi de R$ 769,33 milhões, valor 21,6% superior ao de 2007. Em 2008 foram contratados 11.336 novos projetos de pesquisa, volume 7% maior que o de 2007. O presidente da FAPESP, Celso Lafer, destacou que a Fundação, nos últimos anos, vem construindo seu trabalho em cima de um novo patamar. “Uma das coisas novas é o capítulo da internacionalização, por meio do estabelecimento de uma série de convênios e acordos que visam não apenas ampliar o volume de recursos para pesquisa, mas fortalecer o mecanismo de rede entre pesquisadores brasileiros e de outros países”, disse. Outra novidade foi a promoção de seminários e workshops relacionados aos diversos programas. “Esse conjunto de atividades permite a criação de redes entre os próprios pesquisadores brasileiros, que passam a interagir e a ter conhecimento sobre o que se passa em suas áreas de interesse e sobre as necessidades de pesquisa”, disse Lafer. Segundo o diretor científico da FAPESP, Carlos Henrique de Brito Cruz, os investimentos da Fundação podem ser classificados em três blocos: “A Formação de Recursos Humanos, com 35% do desembolso, é parte essencial da estratégia da FAPESP para formar as novas gerações de cientistas em São Paulo e no Brasil. O Apoio à Pesquisa Acadêmica, motivada pela curiosidade do cientista, recebeu 56% dos desembolsos. Para a Pesquisa Orientada a Aplicações, na qual se incluem importantes programas como Biota, Bioen, Mudanças Climáticas, Tidia, Políticas Públicas, CInAPCe, Pipe e Pite, foram desembolsados 9% dos recursos e esse percentual reflete o aumento da oferta por outras agências de recursos para projetos dirigidos a aplicações”.

Republicar