guia do novo coronavirus
Imprimir PDF Republicar

Dados

Dispêndios empresariais em P&D caem significativamente

  • Segundo dados da última pesquisa de inovação (Pintec/IBGE), de 2017, os dispêndios empresariais em pesquisa e desenvolvimento (P&D)1 caíram, tanto em termos reais como em intensidade (porcentagem do PIB), para o país e para São Paulo, em relação a 2014
  • Em 2017, as empresas brasileiras despenderam R$ 32,6 bilhões em P&D, ou 0,50% do PIB nacional. Esses valores haviam
    sido de R$ 41,2 bilhões2, ou 0,58% do PIB, em 2014
  • Para as empresas sediadas em São Paulo, o total foi de R$ 14,6 bilhões, ou 0,69% do PIB estadual, em 2017. Os valores para 2014 haviam sido de R$ 19,9 bilhões2, ou 0,87% do PIB estadual
  • O setor de serviços cresceu entre 2011 e 2017, tanto para o Brasil (31%) como para São Paulo (215%). No último caso, o setor ampliou a participação de 11% para 31%, no mesmo período, nos dispêndios empresariais de P&D

 

 

 

Notas  (1) As atividades de P&D são as que estão relacionadas diretamente à inovação tecnológica de produtos e processos. P&D internos são aqueles desenvolvidos pela empresa, os externos são os contratados de outra organização. Os valores levantados pela Pintec representam uma proxy dos valores de dispêndios em P&D das empresas, pois não incluem todas as empresas existentes nem todos os setores econômicos (2) Os valores em reais, incluindo os de PIB, foram corrigidos pelo IPCA para valores de 2017 (3) Indústrias extrativas e de transformação (4) Serviços de tecnologia, telecomunicações, arquitetura e engenharia, tratamento de dados e redes e outros selecionados

Fontes  Pesquisa de Inovação Tecnológica/IBGE, Sistema de Contas Nacionais/IBGE (PIB Brasil), IPCA/IBGE e Fundação Seade (PIB de São Paulo e extração especial das PINTEC 2011/2014 para São Paulo). Preparado pela Coordenação de Indicadores de CT&I de São Paulo/DC e Gerência de Estudos e Indicadores/DCTA, FAPESP. Metodologia: para os dados dos dispêndios das empresas das indústrias extrativa/de transformação para São Paulo e Brasil e para os setores do Brasil, dados coletados diretamente da Pintec. Para o setor de serviços em 2011 e 2014 para São Paulo, dados da Pintec em extração especial para Fundação Seade. Para os dados dos setores de eletricidade e gás de 2011, 2014 e 2017, e para o setor de serviços de 2017, projeção baseada na participação de São Paulo nos dispêndios das empresas extrativas e de transformação

Republicar