guia do novo coronavirus
Imprimir PDF Republicar

Estratégias

Espaço para a ciência

MILTON MICHIDA

O Centro de difusão do Butantan: pavilhões reformadosMILTON MICHIDA

O Instituto Butantan inaugurou um novo Centro de Difusão Científica. Dois pavilhões de arquitetura da década de 1930 foram transformados em áreas de exposição – sendo uma o antigo paiol de madeira e o outro a antiga marcenaria, que agora abriga, além de uma cafeteria, uma livraria e um cinema voltados exclusivamente para a ciência. “O objetivo é despertar o interesse de crianças, jovens e adultos para o mundo da ciência”, disse o diretor da instituição, Otavio Azevedo Mercadante. A restauração do local, ao custo de R$ 1,49 milhão, foi resultado de uma parceria que envolveu, além do Instituto Butantan, a Fundação Armando Álvares Penteado (Faap) e a organização social civil de interesse público  Ama-Brasil. A concepção do projeto teve como objetivo preservar o patrimônio e valorizar as características originais do edifício e do paiol, reforçando as estruturas de madeira e a recuperação do subsolo. O projeto inclui a Sala BNDES de Cinema, com 70 lugares, adaptada para receber crianças, adultos, idosos e deficientes físicos e dedicada à projeção de filmes científicos com narrativas que possibilitem o entendimento de todos os públicos. O Centro de Difusão Científica funciona na sede do Butantan na zona Oeste de São Paulo (Av. Vital Brasil, 1500), de terça-feira a domingo, das 9h às 16h30.

Republicar