Guia Covid-19
Imprimir PDF Republicar

Inovação

Força jovem

Curso e concurso incentivam empreendedorismo entre estudantes da graduação

Daniel BuenoEm 2014, uma disciplina sobre empreendedorismo e inovação, hoje destinada a alunos do último ano da graduação na Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (Poli-USP), será oferecida também a estudantes do primeiro ano. A iniciativa faz parte da reestruturação da grade curricular dos cursos de engenharia e o que se quer com ela é aproximar desde cedo o aluno de assuntos ligados à implementação e coordenação de negócios de inovação.

“O conceito de empreendedorismo está ligado ao trabalho do engenheiro, que deve assumir a liderança da execução de projetos”, diz José Antônio Lerosa de Siqueira, professor de empreendedorismo da Poli e colaborador da Agência USP
de Inovação. “Assim, é importante o jovem ter contato desde o começo da graduação com atividades que envolvem planejamento e risco”, diz.

Ele está convencido de que o empreendedorismo precisa ser fomentado o mais cedo possível entre os jovens. Professor também do Senai em São Paulo, Siqueira conta que seu interesse pelo tema surgiu no início da carreira de engenheiro civil. “Formei-me em 1973 e logo consegui um bom emprego na área. Mas em 1978 a profissão entrou em crise no país
e fui para a rua.” Insatisfeito com o salário que ganhava como professor na Poli, desde 1977, e sem oportunidades no mercado, Siqueira não viu outra solução a não ser abrir uma empresa de projetos de engenharia civil. “Tive que virar empreendedor”, diz ele.

Lorosa: quanto mais cedo, melhor

acervo pessoalLerosa: quanto mais cedo, melhoracervo pessoal

Conciliando as atividades de empresário, consultor e professor, Siqueira diz que muitos dos conceitos que aprendeu na universidade só puderam ser testados “na carne” quando optou pela via do empreendedorismo. “Quanto mais cedo entramos em contato com nosso potencial empreendedor, mais conseguimos transformá-lo em realidade.
A carreira universitária não tem nada a perder com isso, pelo contrário”, afirma.

A atenção com a formação empreendedora na Poli teve início na pós-graduação em 2012. Depois de uma solicitação da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) e da própria USP, a Agência USP de Inovação criou uma disciplina de empreendedorismo e inovação e outra sobre gerenciamento e execução, voltadas para alunos de várias áreas do conhecimento. Os cursos são semipresenciais e já formaram uma turma.

Neste semestre a Agência USP de Inovação deu início à seleção de 12 alunos de graduação que viajarão para Bayreuth, na Alemanha, onde participarão de uma competição de planos de negócios e tecnologia. Entre os dias 5 e 15 de janeiro, equipes formadas por estudantes da USP e das universidades de Illinois, Bayreuth e de Hong Kong – que tem um programa no qual o aluno aprende tecnologia e gestão simultaneamente – serão desafiados a elaborar projetos inovadores de veículos elétricos e a desenvolver planos de negócios para os produtos.

Republicar