Guia Covid-19
Imprimir PDF Republicar

escrita árabe

Grego? Não, árabe

aieman khimji/wikimedia commonsAlfabeto arábico: símbolos similares para sons distintosaieman khimji/wikimedia commons

Se você já tentou alguma vez decifrar textos em árabe e não obteve progresso mesmo após ter estudado a língua por algum tempo, esta é uma notícia consoladora: aprender a ler nesse idioma é realmente mais difícil e demorado. Uma série de estudos feitos na Universidade de Haifa, Israel, indica que a complexidade visual da ortografia árabe faz com que o hemisfério direito cerebral não esteja envolvido nas primeiras etapas do processo de domínio da língua escrita. Os pesquisadores argumentam que o árabe usa muitos símbolos gráficos similares para representar letras e sons distintos. Às vezes, a diferença entre duas letras se resume a um detalhe quase imperceptível, como o número de pontos ou linhas inseridos em sua representação. Visto que o hemisfério direito usa a informação global, e não as minúcias gráficas, para identificar os símbolos, esse lado do cérebro não é acionado no processo de aprendizagem do árabe. Já em idiomas como o inglês e o hebraico, os dois hemisférios participam da tarefa, segundo os cientistas, que publicaram os trabalhos em várias edições da revista Neuropsychology.

Republicar