Guia Covid-19
Imprimir PDF Republicar

Câncer

Indicadores de virulência

Questão de perfil: conjunto de genes, microRNAs e proteínas indica a agressividade do tumor

LÉO RAMOSQuestão de perfil: conjunto de genes, microRNAs e proteínas indica a agressividade do tumorLÉO RAMOS

Depois de identificar mutações nos genes BRCA1 e BRCA2 em 9% dos casos de câncer de mama sem antecedentes familiares, um grupo de pesquisadores da Universidade de São Paulo e do A.C. Camargo Cancer Center, coordenado por Maria Mitzi Brentani, decidiu investigar outros mecanismos biológicos que poderiam explicar por que os tumores de mama são mais agressivos nas mulheres jovens, com até 35 anos, do que nas de meia-idade (50-65 anos). Com base em análises de 25 amostras de tumores de mulheres jovens e 25 de mulheres de meia-idade, o grupo encontrou uma combinação de 8 microRNAs, 602 genes, 24 proteínas e 306 genes do microambiente tumoral que, juntos, revelaram um perfil biológico característico dos tumores de pacientes jovens. Desse total, 8 microRNAs, 8 genes e 8 proteínas foram indicados como possíveis marcadores biológicos de agressividade do tumor e uma ferramenta adicional para realizar o prognóstico no grupo de mulheres jovens (PLoS One, 6 de maio). Os pesquisadores alertaram que uma amostra maior de tecidos tumorais deveria ser analisada para confirmar os resultados obtidos nesse estudo, antes da utilização desses possíveis marcadores genéticos na prática clínica, para adequar os tratamentos das mulheres jovens.

Republicar