Guia Covid-19
Imprimir PDF Republicar

Carta da editora | 284

Jornalismo para a ciência

Em outubro de 1999, o boletim Notícias FAPESP transformou-se na revista Pesquisa FAPESP, ampliando a missão de divulgação científica iniciada quatro anos antes pela Fundação que dá nome à publicação. Duas décadas depois, a ideia de que a ciência produzida no estado de São Paulo e no Brasil deve ser comunicada de forma acessível para o público permanece válida e igualmente necessária.

As instituições que fazem pesquisa, sejam universidades, institutos ou empresas, enfrentam hoje um desafio que não é novo, mas possui novas proporções: a crise de confiança na ciência. Diferentemente da religião, a ciência não se coloca como crença. Sua complexidade, entretanto, dificulta a qualquer um entender em detalhes todos os seus resultados.

Conhecer os princípios e o método científico, incluindo suas limitações, é fundamental para que a sociedade compreenda como a ciência gera seus resultados, podendo, assim, avaliá-los e usá-los como base de escolhas racionais. Seus méritos e princípios, no entanto, não a tornam infalível. Por essa razão, mesmo parecendo contraditório, mostrar eventuais erros do processo científico é importante para garantir sua credibilidade.

A atual crise de confiança da população – não apenas do Brasil – na ciência é o tema da reportagem de capa desta edição que marca os 20 anos da revista, escolhida justamente por ser algo tão próximo à sua razão de ser. O relatório Wellcome Global Monitor, que ouviu 140 mil pessoas em 144 países, mostra que 73% dos brasileiros desconfiam da ciência, número parecido com França e Japão, de 77%.

Os dados do levantamento não são animadores, mas servem como um alerta. Esse problema deve ser enfrentado por todos: comunidade científica, jornalistas, educadores, formuladores de políticas públicas, entre outros. Os pesquisadores estão mais atentos à necessidade de não apenas transmitir os resultados que alcançam, como de comunicar de forma responsável os seus achados. Exemplo é a estratégia de divulgação do amplo estudo de mapeamento da influência dos genes no comportamento homossexual (página 56).

Nos 20 anos de existência de Pesquisa FAPESP, a imprensa também enfrentou enormes desafios, alguns compartilhados com a ciência. O avanço da internet ampliou o acesso a informações, dando aos leitores mais opções, mas ao mesmo tempo o público passou a ter que filtrar as fontes, conferindo a sua veracidade. Isso demanda um esforço para não se consumir conteúdo impreciso ou mesmo falso.

Completar duas décadas em prol dessa missão é um marco. De um boletim de notícias produzido para um grupo restrito de pesquisadores, Pesquisa FAPESP é hoje reconhecida como uma publicação jornalística de qualidade. A revista traz aos seus leitores reportagens baseadas em pesquisas científicas e tecnológicas desenvolvidas no Brasil e por brasileiros em todas as áreas do conhecimento, além de tratar de temas correlatos como política de ciência e inovação e boas práticas científicas. Ao mesmo tempo, busca ressaltar a ciência por trás de questões cotidianas, como o monitoramento histórico das queimadas, e trazer reportagens que ajudem a pensar o futuro, como a que trata dos impactos socioeconômicos de usinas hidrelétricas como Belo Monte. A equipe de Pesquisa FAPESP agradece a sua leitura. Contribuir com essa missão, que é de todos, é um privilégio.

Republicar