Guia Covid-19
Imprimir PDF Republicar

Medicina

Maratonistas do lixo

LAURABEATRIZBate forte o resistente coração dos coletores de lixo. Correr para reunir, carregar e atirar sacos de lixo em um caminhão em movimento durante cinco a oito horas por dia, em meio ao trânsito e à pouca consideração de outros pedestres, faz o coração desses homens trabalhar a um ritmo médio de 104 batimentos por minuto, quase 60% da freqüência cardíaca máxima. O gasto energético durante a coleta de lixo é alto: 1.608 quilocalorias em 300 minutos de trabalho diário. É uma atividade excessivamente pesada, que deveria exigir classificação mais apurada de trabalhadores e mais cuidados com a saúde, recomenda Luiz Anjos, da Fundação Oswaldo Cruz, em estudo publicado nos Cadernos de Saúde Pública. Anjos e pesquisadores da Universidade Federal Fluminense e da Universidade do Estado do Rio de Janeiro avaliaram 83 coletores de lixo domiciliar na cidade do Rio de Janeiro com idade entre 19 e 63 anos e peso médio de 68 quilos. No Brasil cerca de 90 mil homens trabalham como coletores de lixo sob o risco de contaminação, exaustão ou atropelamentos.

Republicar