guia do novo coronavirus
Imprimir PDF Republicar

Pediatria

Medicamentos perigosos

O estudo Identificação de medicamentos “não apropriados para crianças” em prescrições de unidade de tratamento intensivo pediátrica procurou avaliar a extensão do uso de medicamentos inadequados para crianças, em uma Unidade de Tratamento Intensivo Pediátrica (UTIP), do Hospital de Clínicas de Porto Alegre. A pesquisa, que seguiu os padrões estabelecidos pela Agência de Controle de Medicamentos e Alimentos (FDA, na sigla em inglês) dos Estados Unidos, baseou-se na avaliação das prescrições de todos os pacientes admitidos no período de seis semanas consecutivas, entre julho e agosto de 2002. Foram considerados ainda variáveis como idade, sexo e peso. A investigação, que considerou 51 pacientes, constatou a prevalência de 10,5% de casos de medicamentos não aprovados e 49,5% para medicamentos não padronizados. Os autores do artigo chegaram a uma conclusão preocupante: os medicamentos usados na faixa pediátrica, com uma alta freqüência, são apenas modificações de formulações aplicadas em adultos. A diferença que existe entre os dois grupos é normalmente ignorada.

Jornal de Pediatria, vol. 79,  nº 5, Porto Alegre, set./out. 2003

www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0021-75572003000500006&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt

Republicar