guia do novo coronavirus
Imprimir PDF Republicar

Meteorologia

Megaflashes sul-americanos

Imagem de satélite registra raio que caiu em 31 de outubro de 2018 sobre o Rio Grande do Sul e se estendeu por 709 km

WMO

O raio mais extenso já registrado percorreu 709 quilômetros (km) em uma linha horizontal cortando o Sul do Brasil em 31 de outubro de 2018, informou em junho a Organização Meteorológica Mundial (OMM). O recorde anterior, de 321 km, havia sido detectado em junho de 2007 em Oklahoma, nos Estados Unidos. A OMM também estipulou que o raio com duração mais longa, com 16,73 segundos, ocorreu em 4 de março de 2019 na Argentina. Até então a descarga elétrica atmosférica mais demorada havia sido registrada em 30 de agosto de 2012, na região de Provence-Alpes-Côte d’Azur, na França, com de 7,74 segundos. Os novos megaflashes, nome dado pela OMM aos grandes raios, foram observados por pesquisadores brasileiros do Sistema de Observação e Previsão de Tempo Severo (SOS-Chuva) e do Projeto Relâmpago, que estuda a influência do fenômeno sobre a química e a física da atmosfera, ambos apoiados pela FAPESP. O Brasil é recordista em incidências de raios. De acordo com o Grupo de Eletricidade Atmosférica do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Elat-Inpe), 78 milhões de raios caem todos os anos no país.

Republicar