Guia Covid-19
Imprimir PDF Republicar

Tecnologia

Modernização agrícola

O artigo “Intensidade e dinâmica da modernização agrícola no Brasil e nas unidades da Federação”, de Paulo Marcelo de Souza, da Universidade Estadual do Norte Fluminense, e João Eustáquio de Lima, da Universidade Federal de Viçosa, apresenta um estudo que caracteriza a evolução do processo de modernização agrícola ocorrido em cada estado, entre 1970 e 1995. A idéia foi fornecer evidências empíricas do processo de modernização da agricultura, buscando verificar sua magnitude e descrever sua dinâmica ao longo do tempo. Os resultados do estudo mostram que a intensidade do processo de modernização foi significativamente diferente entre as unidades da Federação. “Esse processo sofreu retração a partir de 1980, com a redução nos valores associados ao nível de financiamento e investimentos no setor”, revelam os pesquisadores. Eles observaram que a modernização agrícola foi mais lenta no grupo formado por Acre, Amapá, Amazonas, Pará, Piauí e Rondônia. No grupo constituído por Bahia, Ceará, Maranhão, Paraíba, Pernambuco, Rio Grande do Norte, Roraima e Sergipe se observa maior intensidade de modernização do que a constatada para os estados do grupo anterior. Porém as taxas observadas nesse caso são inferiores ao que se verifica nos demais estados. Um terceiro grupo (Alagoas, Espírito Santo, Goiás, Mato Grosso, Minas Gerais e Rio de Janeiro) define as regiões onde o avanço da modernização é superior ao que ocorre nos dois primeiros grupos. Finalmente, Distrito Federal, Mato Grosso do Sul, Paraná, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e São Paulo pertencem ao grupo que abriga as unidades da Federação onde a modernização foi mais intensa.

Revista Brasileira de Economia – vol. 57 – nº 4 – Rio de Janeiro – out./dez. 2003

Republicar