Guia Covid-19
Imprimir PDF Republicar

COVID-19

Mortes agravam as perdas de renda

Morte de 430 mil pessoas até maio por Covid-19 deve retirar, por mês, R$ 10,9 bilhões da economia

Léo Ramos Chaves

A pandemia agravou a crise econômica do Brasil, fazendo a taxa de desemprego passar de 11,9% em 2019 para 13,5% em 2020, alcançando estimados 15% em 2021. As mortes por Covid-19, por sua vez, agravaram as perdas de renda. Um estudo do Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (Ibre-FGV) publicado em maio, com base em dados do Portal da Transparência do Registro Civil, estimou que a morte no Brasil de quase 430 mil pessoas com 20 anos ou mais, ocorridas entre março de 2020 e maio de 2021 em consequência da Covid-19, deve retirar da economia R$ 10,9 bilhões de rendimentos mensais do trabalho ou de pensões e aposentadorias, o equivalente a 0,4% da massa de rendimentos do ano de 2019. Esse valor resulta da soma de dois grupos: o das pessoas com idade entre 20 e 69, que registrou 216,6 mil mortes, correspondendo a R$ 5,9 bilhões de perda de rendimentos para as famílias; e o das pessoas com idade acima de 70 anos, com 211 mil mortes e perda de R$ 5 bilhões. Até maio, o estado de São Paulo respondeu por 27,2% do total de óbitos por Covid-19 registrados no país e o do Rio de Janeiro por 11,5%.

Republicar