Guia Covid-19
Imprimir PDF Republicar

Mundo

Na cadeia, acusado de traição

O físico russo Valentin Danilov, de 53 anos, foi sentenciado em novembro a 14 anos de prisão, acusado de passar segredos tecnológicos para a China. Em 2001, o FSB (Serviço Federal de Segurança), órgão de inteligência que sucedeu a extinta KGB, acusou-o de vender o projeto de um equipamento capaz de medir os efeitos de ondas eletromagnéticas em satélites. O aparelho, diz a FSB, pode ajudar a China a desenvolver armas ameaçadoras para a Rússia.

Ex-membro da Academia Russa de Ciências, afastado do comando do Instituto de Termodinâmica de Krasnoyarsk, Danilov tornou-se um símbolo da ofensiva da FSB contra pesquisadores e ecologistas acusados de traição. É certo que a decadência do país na década passada desarticulou a infra-estrutura científica, abrindo espaço para a venda de segredos. Mas, para entidades de defesa dos direitos humanos, Danilov é um bode expiatório.

Ele sempre admitiu que vendeu a tecnologia, mas argumenta que não se tratava de segredo. Em 1992, sua pesquisa chegou a ser publicada em jornais científicos. Ele foi absolvido em primeira instância, mas promotores recorreram e, agora, ele foi condenado. (Nature, 2 de dezembro)

Republicar