guia do novo coronavirus
Imprimir PDF Republicar

Novo material

Nanopapiros de carbono

Nanorrolos de nitreto de carbono: tubos feitos por folhas de um átomo de espessura

douglas galvão e eric perim / unicampNanorrolos de nitreto de carbono: tubos feitos por folhas de um átomo de espessuradouglas galvão e eric perim / unicamp

Os físicos Douglas Galvão e Eric Perim, da Universidade Estadual de Campinas, afirmam ser possível fabricar nanorrolos – tubos feitos por folhas de um átomo de espessura enroladas como os papiros da Antiguidade – com um novo tipo de material. São os nanorrolos de nitreto de carbono (ChemPhysChem, maio 2014). Os primeiros nanorrolos foram produzidos de maneira controlada em 2004, enrolando folhas de carbono com apenas um átomo de espessura, material chamado grafeno. Com grande resistência a tração e capacidade de conduzir eletricidade, o grafeno costuma ser enrolado para formar tubos de diâmetro fixo, os nanotubos. Ao enrolar o grafeno como se fosse uma espiral, obtém-se um tubo com diâmetro variável. Galvão e colegas demonstraram em 2006 que o diâmetro dos nanorrolos pode ser controlado por meio de cargas elétricas. “Isso permitiria usá-los como molas em dispositivos nanomecânicos ou armadilhas para aprisionar gases”, explica Perim. Em 2009 ele e Galvão realizaram cálculos por computador demonstrando a possibilidade de produzir nanorrolos de nitreto de boro, material com propriedades similares às do grafeno. Novas simulações sugerem ser possível fazer nanorrolos de nitreto de carbono. Uma das vantagens desse material são os poros de três tamanhos diferentes, nos quais se podem armazenar partículas de gases.

Republicar