guia do novo coronavirus
Imprimir PDF Republish

preprint

O preprint e o artigo publicado

Reprodução

Um estudo liderado por pesquisadores da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) comparou textos preliminares de artigos científicos, depositados em repositórios de preprint, com as versões finais dos mesmos papers, publicadas em revistas científicas após a revisão por pares. O grupo concluiu que, na amostra estudada, foi pequeno o impacto da revisão na melhoria da qualidade dos trabalhos. Foram avaliados 56 artigos de genética e neurociência divulgados no repositório bioRxiv em 2016. Segundo o estudo, a revisão por pares corrigiu, em média, só uma deficiência por manuscrito (bioRxiv, 19 de março). O trabalho dos revisores é analisar a robustez dos resultados e dos métodos usados em um trabalho científico e sugerir aperfeiçoamentos antes da publicação definitiva. Os autores do preprint reconhecem que a metodologia usada é insuficiente para avaliar as múltiplas dimensões do trabalho de revisão e sugerem que os achados valham como parâmetro para estudos em grande escala sobre o fenômeno. Outra conclusão é de que os resultados corroboram a ideia de que manuscritos publicados como preprints podem ser considerados resultados científicos válidos, afirmou à revista Science a farmacêutica Clarissa Carneiro, uma das autoras do estudo.

Republish