Imprimir PDF Republicar

Ciências sociais

Os militares e os franceses

Com base em documentos de Estado-Maior, o artigo “A influência doutrinária francesa sobre os militares brasileiros nos anos de 1960”, de João Roberto Martins Filho, da Universidade Federal de São Carlos, analisa a importação pelos militares brasileiros de um corpo de ideias gerado na França na segunda metade dos anos 1950. Trata-se da doutrina conhecida como guerre révolutionnaire, voltada para a derrota do movimento marxista-leninista e desenvolvida no contexto da Guerra da Argélia. Trazidas para a América do Sul, inicialmente por militares argentinos, as ideias francesas chegaram ao Brasil em 1959 numa conferência feita na Escola Superior de Guerra. A partir de então foram adotadas como doutrina oficial pelo Estado-Maior das Forças Armadas, ajudaram na campanha de ideias que precedeu o golpe de 1964 e continuaram influentes depois da ruptura do processo constitucional. Ao contrário do que aparece na literatura sobre o tema, autores franceses, e não norte-americanos, teriam sido a fonte principal do pensamento militar brasileiro nos anos 1960.

Revista Brasileira de Ciências Sociais – v. 23 – nº 67 – São Paulo – jun. 2008

Republicar