Guia Covid-19
Imprimir PDF Republicar

nanotecnologia

Patentes nanométricas

FABRÍCIO MAZOCCO – FAI/UFSCAR Nanocompósito preparado com argila e polímeroFABRÍCIO MAZOCCO – FAI/UFSCAR

Produtos sintetizados em medidas nanométricas menores que 1 milímetro dividido por 1 milhão de vezes estão começando a se tornar importantes para as várias áreas industriais. Duas patentes depositadas pela Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) no Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI) mostram o potencial dessas tecnologias. Uma delas trata do uso de argilas na preparação de polímeros nanoestruturados para a obtenção de compósitos com mais elasticidade, resistência e redução de permeabilidade, formando uma barreira para gases e aromas. Esses polímeros poderão ser usados em celulares, canetas, copos plásticos, embalagens e partes de veículos. A segunda patente trata da preparação de nanopartículas revestidas com dióxido de titânio e de outros óxidos metálicos também para uso em polímeros. Com esses nanocompósitos aplicados a um produto pode-se obter propriedades de fotodegradação, processo que dilui o produto quando descartado à luz do sol, e função biocida, capaz de eliminar bactérias, por exemplo. Eles podem ter aplicação em vários setores como em produtos para agricultura, embalagens de alimentos e sensores. As patentes são resultado de trabalhos dos pesquisadores Suel Eric Vidotti, Paulo Rodrigo Alves Bernardo e Antonio José Felix de Carvalho coordenados pelo professor Luiz Antônio Pessan, do Departamento de Engenharia de Materiais da UFSCar.

Republicar