guia do novo coronavirus
Imprimir PDF Republish

pesquisa no mar

Plataforma de pesquisa no mar

luiz nonnatoO navio ancorado em Seattleluiz nonnato

Está programada para o final de dezembro a chegada ao Brasil do novo navio de pesquisas do Instituto Oceanográfico (IO) da Universidade de São Paulo (USP) que substituirá o Professor Besnard, fora de operação desde um incêndio em 2008. A aquisição foi financiada pela FAPESP. A procura pelo novo navio foi iniciada em 2009, pelo diretor do IO, professor Michel Mahiques. Foi escolhido o Moana Wave, que serviu de base para a Universidade do Havaí, por apresentar melhor área para instalação de laboratórios e uma popa baixa e apropriada para atividades de pesquisa. Rebatizado de Alpha Crucis, a estrela que representa o estado de São Paulo na bandeira do Brasil, o novo navio será uma plataforma de pesquisas em alto-mar. Está sendo reformado num estaleiro em Seattle, Estados Unidos, e receberá um atualizado conjunto de equipamentos, entre laboratórios científicos e sistemas de navegação de última geração. Construído em 1974 com 64 metros de comprimento por 11 metros de largura, terá capacidade de levar 41 pessoas a bordo, sendo 23 pesquisadores e 18 tripulantes. “Com um navio de concepção moderna dotado de equipamentos de última geração, o aumento de qualidade das informações coletadas e das pesquisas será notável”, diz o engenheiro Luiz Nonnato, membro do laboratório de instrumentação do IO. Será utilizado por grupos de pesquisa de várias áreas, entre eles o do Programa Biota-FAPESP, para ampliar o conhecimento acerca da biologia marinha. O navio também será importante para a formação dos alunos de graduação do IO por meio de participação em expedições científicas.

Republish