guia do novo coronavirus
Imprimir PDF Republicar

Biblioteca Eletrônica

ProBE: missão cumprida

Revistas científicas podem ser consultadas no Portal Periódicos, da Capes

BRAZPioneiro no país, o Programa Biblioteca Eletrônica (ProBE), patrocinado pela FAPESP, encerrou suas atividades em dezembro passado. A partir deste ano, as universidades públicas e parte das instituições de ensino e pesquisa paulistas que integravam o programa têm acesso aos títulos editados pela Elsevier Science, Academic Press e HighWire Press, entre outros – anteriormente disponíveis no ProBE – no Portal Periódicos, mantido pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes).

“O ProBE cumpriu sua tarefa de implementar o uso de publicações eletrônicas no meio acadêmico”, diz Rosali Fávero Krzyzanowski, coordenadora operacional do ProBE. O programa foi criado, em 1999, na forma de um consórcio que reuniu a FAPESP, as cinco universidades públicas de São Paulo – Universidade de São Paulo (USP), Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), Universidade Estadual Paulista (Unesp), Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) e Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) -, além do Centro Latino-Americano e do Caribe de Informações em Ciências da Saúde (Bireme/OPS/Oms).

No primeiro ano de operação, mais 36 instituições aderiram ao ProBE. Desde a sua implantação, estava previsto que a FAPESP ofereceria a infra-estrutura de hardware – por meio da Rede ANSP -, o software para gerenciamento da biblioteca eletrônica e financiaria a aquisição dos títulos eletrônicos por um prazo de três anos. Ao final desse período, as instituições consorciadas assumiriam os custos e a gestão do programa.No final de 2000, a Capes implementou um projeto com formato semelhante ao ProBE, acessível às instituições com programas de pós-graduação que atendessem seus requisitos. São Paulo aderiu ao programa em 2002, mas algumas instituições que participavam do ProBE não foram credenciadas.

Na tentativa de permitir que essas instituições tenham acesso às coleções retrospectivas adquiridas pelo ProBE, a FAPESP estuda a proposta apresentada pela USP, Unicamp e Unesp de transferir essas coleções para o grupo de bibliotecas do Conselho de Reitores do Estado de São Paulo (Cruesp). “Se tudo der certo, estarão disponíveis à comunidade científica do consórcio toda a coleção de títulos publicados pela Elsevier, desde 1995; da Academic Press, publicados a partir de 1996; e a coleção completa da Web of Science, desde 1945, entre outros”, afirma Rosali.

Resultados positivos
Os resultados do programa atestam o seu sucesso. O ProBE fechou o ano passado com 2.248 títulos disponí­veis nas diversas áreas de conhecimento. Entre 2000 e 2001, o número de usuários que fizeram download de textos completos saltou de 303,5 mil para 2,2 milhões. Pesquisa realizada em 2001 revelou que 49% dos usuários utilizavam mais os periódicos eletrônicos do que publicações impressas e quase a metade dosconsultados (47%) utilizaram o ProBE mais de dez vezes no trimestre.

Republicar