guia do novo coronavirus
Imprimir PDF Republish

Tecnologia

Sêmen suíno resfriado

Um contêiner de baixo custo para o transporte e resfriamento de sêmen suíno à temperatura de 17°C ou 5°C, durante um período mínimo de 24 horas. O processo de fabricação desse recipiente está disponível no artigo “Desenvolvimento de um sistema de resfriamento e conservação de sêmen suíno”, escrito por pesquisadores da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). No Brasil, a utilização do sêmen suíno transportado não é rotina nas centrais de inseminação. Cada sistema de produção mantém a sua própria central e, em alguns casos, ocorre o transporte das doses inseminantes para centrais próximas ou para outros estados. “No entanto, o transporte é realizado dentro de caixas de isopor, sem nenhum controle da temperatura, e, em alguns casos, em geladeiras de menor tamanho ou caixas térmicas que mantêm a temperatura de 17°C”, mostra o artigo. O contêiner, desenvolvido na Escola de Engenharia Mecânica da UFMG, constitui-se de três blocos de isopor: um bloco compacto formando o fundo, um bloco central com perfurações para colocação dos blocos menores, contendo os frascos plásticos que acondicionam o sêmen diluído e uma perfuração central para colocação do sistema refrigerador. “A utilização dessa tecnologia de resfriamento, estocagem e transporte de sêmen suíno pode contribuir para o aumento da difusão da inseminação artificial em locais de menor escala de produção e melhorar o nível genético nas granjas”, conclui o artigo.

Arquivo Brasileiro de Medicina Veterinária e Zootecnia – vol. 58 – nº 1 – Belo Horizonte – fev. 2006

www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-09352006000100012&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt

Republish