Guia Covid-19
Imprimir PDF Republicar

Economia

São Paulo entre os polos econômicos mundiais

Pouco mais de um terço (35%) do PIB mundial, estimado em US$ 80 trilhões em valores de 2017, é produzido em 29 regiões no planeta, nas quais vivem 602 milhões de pessoas (8% da população global). Pesquisadores do site de notícias CityLab cruzaram dados econômicos calculados pela empresa britânica Oxford Economics com imagens de satélite geradas pela Administração Oceânica e Atmosférica Nacional (Noaa) dos Estados Unidos para mapear os principais polos econômicos do mundo. Eles notaram que as áreas que mais geravam riqueza nem sempre correspondiam a países. Havia nações com mais de um polo econômico ao mesmo tempo que existiam polos econômicos que se estendiam por dois ou três países. Em geral, eles são formados por metrópoles próximas. Com base nessa observação, os pesquisadores identificaram 29 macrorregiões econômicas: áreas que produzem ao menos US$ 300 bilhões por ano e reúnem mais de 5 milhões de habitantes. A mais rica é Bos-Wash. Com 47,6 milhões de pessoas, ela engloba as regiões metropolitanas de Boston, Nova York e Washington (D.C.) e gera US$ 3,65 trilhões por ano. Em seguida, vem a região de Paris, Amsterdã, Bruxelas e Munique (Par-Am-Mun), com 43,5 milhões de pessoas e um PIB anual de US$ 2,5 trilhões. São Paulo ocupa o 14º lugar no ranking e é a única do hemisfério Sul. Ela inclui uma área com 33,5 milhões de habitantes e produz US$ 0,78 trilhão por ano (VisualCapitalist, 19 de setembro).

Republicar