guia do novo coronavirus
Imprimir PDF Republicar

Tecnociência

Satélites revelam manchas de óleo

Imagens de satélites canadenses, europeus e informações do Sistema Integrado de Vigilância da Amazônia (Sivam) serão utilizadas para detectar vazamentos de petróleo na costa brasileira. O sistema de monitoramento, concebido pela Coordenação de Programas de Pós-graduação de Engenharia (Coppe) da Universidade Federal do Rio de Janeiro, vai operar com base na interpretação de imagens orbitais do mar, geradas pelos satélites, que serão analisadas em conjunto com informações do mapeamento de instalações de exploração e produção de petróleo e gás (plataformas e dutos), do controle do tráfego marítimo de petróleo e derivados e de técnicas de simulação de movimentação de manchas de óleo no mar.

Quando for detectado um derramamento de óleo, os órgãos de defesa do meio ambiente serão alertados para adotar as medidas de controle. O sistema estará totalmente implementado em seis meses, segundo o professor Luiz Landau, coordenador do projeto. “O foco inicial do monitoramento é a bacia de Campos, onde se concentra mais de 80% da produção do petróleo nacional. Mas temos a intenção de monitorar toda costa que tiver atividade petrolífera”, diz Landau. Os R$ 9,2 milhões necessários para o projeto serão divididos entre Agência Nacional do Petróleo (ANP), Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e Marinha. A ANP já assinou contrato no valor de R$ 6,8 milhões com a Coppe para desenvolver o sistema, que está na fase pré-operacional.

Republicar