Guia Covid-19
Imprimir PDF Republicar

Sustentabilidade

A segunda geração está chegando

Bioflex 1 em  Alagoas: etanol feito de bagaço e palha de cana-de-açúcar

GranBio Bioflex 1 em Alagoas: etanol feito de bagaço e palha de cana-de-açúcarGranBio 

A primeira usina produtora de etanol de segunda geração em escala comercial do país começou a funcionar em setembro no município de São Miguel dos Campos, em Alagoas. Ainda em fase de aprendizado e aperfeiçoamento dos sistemas de produção, a unidade da empresa brasileira GranBio começou a fabricar etanol a partir do bagaço e da palha da cana-de-açúcar que não é aproveitada na colheita. O processo, chamado de hidrólise, quebra as paredes celulares da planta e extrai açúcares da celulose por meio de enzimas. Os açúcares depois são transformados em etanol no processo de fermentação do caldo de cana com leveduras, de forma semelhante ao utilizado na primeira geração. A unidade, chamada de Bioflex 1, tem a capacidade de produzir 82 milhões de litros de etanol por ano. A tecnologia utilizada contou com a participação das empresas DSM, da Holanda, no fornecimento de leveduras, e Novozymes, da Dinamarca, com as enzimas para a hidrólise. A italiana Beta Renewables é a responsável pelos sistemas industriais de pré-tratamento da biomassa. A GranBio investiu US$ 265 milhões na construção do empreendimento e o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), mais R$ 300 milhões. Em Campinas, no interior paulista, a empresa mantém um Centro de Pesquisas em Biologia Sintética para estudos de microrganismos, processamento de biomassa e hidrólise.

Republicar