guia do novo coronavirus
Imprimir PDF Republicar

Psiquiatria

Sinais neurológicos sutis

O objetivo do trabalho “Sinais neurológicos sutis: uma revisão” é discutir o significado desses sinais e a relevância para a pesquisa em psiquiatria, com ênfase na esquizofrenia e no transtorno bipolar (TB). Realizou-se para isso uma revisão da literatura nas bases de dados Medline e Bireme. Sinais neurológicos sutis são alterações no exame neurológico que compreendem funções diversas como integração sensorial, coordenação motora, sequenciamento motor e presença de reflexos primitivos. Os sinais indicam disfunção cerebral não focal, podendo se apresentar como fatores de risco para transtornos psiquiátricos. Podem indicar endofenótipos relacionados a disfunções em circuitos neurais específicos, fornecendo informações relevantes para fisiopatologia desses transtornos. Apesar disso, há poucos trabalhos sobre o tema na literatura nacional. A observação de sinais neurológicos sutis aponta para o potencial de o exame neurológico preencher uma lacuna entre a pesquisa neurobiológica e a prática clínica. O estudo foi realizado por Vinicius Sousa Pietra Pedroso, do Instituto de Psiquiatria Raul Soares, de Belo Horizonte, João Vinícius Salgado, da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), e Antônio Lúcio Teixeira, Hospital das Clínicas da UFMG.

Jornal Brasileiro de Psiquiatria – vol. 59 – nº 3 – Rio de Janeiro – 2010

Link para o artigo

Republicar