guia do novo coronavirus
Imprimir PDF Republish

Tomates sweet grape

Suplementação luminosa

Tomates sweet grape em estufa na Esalq sob a luz de leds: produtividade maior em 15%

ESALQTomates sweet grape em estufa na Esalq sob a luz de leds: produtividade maior em 15%ESALQ

Com o objetivo de aumentar a produtividade de minitomates cultivados em estufas, pesquisadores da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz da Universidade de São Paulo (Esalq-USP), sob a orientação da professora Simone da Costa Mello, estão testando o uso de barras com diodos emissores de luz (LEDs) para suplementação da radiação solar. “Elas são colocadas na porção inferior do dossel do tomateiro, local onde as plantas sofrem as maiores consequências do autossombreamento, com envelhecimento mais rápido das folhas por redução da luminosidade”, diz Simone. As barras de LED já estão em uso na Europa para o cultivo de tomate, pepino, pimentão e na produção de rosas. A pesquisa brasileira teve início a partir de uma demanda da Philips do Brasil. “Fomos procurados pela empresa para estudar o uso de LEDs nas condições de clima tropical e subtropical”, relata Simone. Em abril deste ano foi feito o plantio dos minitomates da variedade sweet grape em uma estufa climatizada composta por dois módulos, um com barra de LEDs que emitem luz nos comprimentos de ondas em 465 nanômetros (luz azul) e 667 nanômetros (luz vermelha) e outro sem esses dispositivos. Os Leds são utilizados no processo fotossintético, essencial para o crescimento vegetativo e reprodutivo das plantas. A colheita do tomate será no mês de dezembro e os resultados iniciais indicam um aumento na produtividade de 15% para as plantas com incidência luminosa.

Republish