guia do novo coronavirus
Imprimir PDF Republicar

Nutrição

Tecnologia para hortaliças

eduardo cesarA cada dia que passa o consumidor está mais consciente de que a saúde está diretamente relacionada a uma dieta balanceada e segura. A preocupação com o consumo de alimentos com propriedades funcionais vem crescendo pelo fato de os alimentos apresentarem atividades antioxidantes. Entretanto, o consumo de hortaliças in natura também pode apresentar riscos à saúde. Os principais riscos potenciais de frutas e hortaliças (foto) estão relacionados às contaminações química e microbiológica, que podem ocorrer no vegetal durante a sua produção. Com o aumento da competitividade nas diferentes cadeias agroindustriais, os produtores têm buscado oferecer produtos com maior qualidade e de maior valor agregado, sem perderem de vista a segurança dos alimentos. Uma forma de gerenciar perigos para a segurança dos alimentos é monitorar todo o processo desde a produção até a sua distribuição. Para tanto, é necessário implementar um sistema de rastreamento combinado com procedimentos de garantia de qualidade do tipo APPCC (Análise de Perigos e Pontos Críticos de Controle), a fim de minimizar as possibilidades de contaminação alimentar e identificar rapidamente qualquer fonte de contaminação.  A adoção de Boas Práticas Agrícolas (BPA) durante a produção de produtos hortícolas é pré-requisito para que o plano de APPCC obtenha sucesso. A Produção Integrada (PI) tem como objetivo principal elevar os padrões de qualidade e competitividade da olericultura e fruticultura brasileiras aos níveis de excelência requeridos pelo mercado internacional. O foco atual é a busca pela manutenção dos valores funcionais das hortaliças após a colheita, por meio da utilização de técnicas de manuseio que assegurem a inocuidade e a rastrea­bilidade, sem prejuízo de todos os atributos de qualidade anteriormente garantidos. O trabalho “Produção segura e rastreabilidade de hortaliças”, de Leonora M. Mattos, Celso Luiz Moretti e Iriani R. Maldonade, da Embrapa Hortaliças, Marcelo A. de Moura, da Universidade Federal de Viçosa, e Ester Yoshie Yosino da Silva, da Universidade de Brasília, aborda um conjunto de tecnologias que disponibiliza ao consumidor produtos seguros e rastreáveis, sem que haja perda de seu valor nutritivo e com qualidade sensorial ótima.

Horticultura Brasileira – vol. 27 – nº 4 – Brasília – out./dez. 2009

Link para o artigo

Republicar