Guia Covid-19
Imprimir PDF Republicar

Água

Um oceano no centro da Terra

Diamante JUc29: luz incidente mostra formas irregulares e poços  hexagonais

Richard Siemens / Universidade de AlbertaDiamante JUc29: luz incidente mostra formas irregulares e poços hexagonaisRichard Siemens / Universidade de Alberta

O diamante JUc29, extraído do rio 21 de Abril, no município de Juína, no estado do Mato Grosso, na divisa com Rondônia, indicou que no interior da Terra pode haver, de fato, como previsto, uma quantidade de água equivalente a um oceano (Nature, 13 de março). Usando três técnicas diferentes (difração de raios X e espectroscopia Raman e infravermelho), pesquisadores do Canadá e dos Estados Unidos estimaram em 1,4% da massa o conteúdo de água dentro do mineral olivina. Esse mineral estava incrustado no diamante com 3 milímetros de comprimento e massa de 0,09 grama, encontrado em 2008. Diamantes como esse são formados na chamada zona de transição, em profundidades entre 410 e 660 quilômetros, e chegam à superfície por meio de erupções de rochas vulcânicas. A partir desse e outros estudos, um cálculo conservador indicou que 1% da massa da zona de transição seria água, que poderia ir para o manto, a camada intermediária do interior do planeta. Essa água pode, por meio de fendas, chegar à superfície, formando os oceanos visíveis. É a primeira evidência física de que a água pode ser armazenada no interior da Terra.

Republicar