Imprimir PDF

Epidemiologia

Armadilha contra a dengue

Garrafas plásticas de refrigerantes, as populares PETs, sigla de poli (tereftalato de etileno), tornaram-se aliadas no combate ao Aedes aegypti, mosquito transmissor da dengue. A armadilha, que recebeu o nome de mosquitérica, foi criada pelo professor Malouri Cabral, do Departamento de Microbiologia da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Para construí-la é preciso apenas uma garrafa PET, um pedaço de microtule – tecido utilizado em véus de noiva -,  lixa, fita isolante, alpiste ou arroz e uma tesoura. A armadilha atrai as fêmeas de mosquitos em busca de um local para depositar seus ovos, que ficam fixados na borda interna da tampa, pouco acima da lâmina d’água. Como a água evapora muito rápido na mosquitérica, as fêmeas depositam os ovos cada vez mais abaixo. Assim, quando o nível d’água for novamente completado, os ovos ficarão encharcados. As larvas que eclodirem ficarão presas na armadilha, por onde permanecerão durante todas as fases da vida. As instruções para a fabricação da armadilha encontram-se no endereço eletrônico www.faperj.br/downloads/mosquiterica.pdf