Imprimir PDF

Brasil

Professor emérito

O médico e pesquisador Erney Plessmann Camargo, de 70 anos, recebeu no dia 22 de agosto o título de professor emérito do Instituto de Ciências Biomédicas da Universidade de São Paulo. Atual presidente do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), Erney tem forte atuação na área de biologia molecular de parasitas e epidemiologia da malária. “Entendo que o título de professor emérito reflete a apreciação que uma instituição tem sobre o desempenho acadêmico de um docente/ pesquisador ao longo de sua carreira”, disse Erney. “Além disso, o título reflete sobretudo a generosidade de meus colegas”, afirmou. Seu primeiro trabalho independente, publicado em 1964 sobre o crescimento e diferenciação do Trypanosoma cruzi, ainda hoje é bastante citado na literatura científica internacional. Formado em 1959 na Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP), incorporou-se, dois anos mais tarde, ao quadro docente da instituição. Em 1964 foi demitido por razões políticas e emigrou para os Estados Unidos, onde permaneceu por cinco anos, retornando em seguida ao Brasil, quando apresentou sua tese de doutorado à Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto. Em 1985 retornou à USP como professor titular do Departamento de Parasitologia do Instituto de Ciências Biomédicas, onde permaneceu até a aposentadoria, em abril deste ano. Erney Camargo foi também presidente da Sociedade Brasileira de Protozoologia e é membro das Sociedades Brasileiras de Bioquímica e Parasitologia, da Linnean Society of London e da Academia Brasileira de Ciências. Antes de ser convidado a presidir o CNPq, em 2003, ele era diretor do Instituto Butantan, em São Paulo.

Republicar