Imprimir PDF

Biodiversidade

Um mês macabro para as baleias-francas

Baleia-franca com filhote: restam cerca de 400 exemplares da espécie no mundo

Florida Fish and Wildlife Conservation Commission, NOAA Research

Junho foi um mês cruel para as baleias-francas (Eubalaena glacialis) – estima-se que restem apenas 411 baleias-francas no mundo. Pelo menos seis foram encontradas mortas, boiando nas águas geladas do golfo de São Lourenço, na costa leste do Canadá. Entre elas uma fêmea de 40 anos chamada Punctuation, considerada uma das 100 baleias-francas ativas reprodutivamente. Sabe-se que Punctuation dera à luz oito filhotes, além de ter sido avó de pelo menos dois outros indivíduos ao longo da vida. O resultado da necropsia sugere que ela tenha morrido após ser atingida por um navio. A poucos quilômetros dali, em 4 de junho, Wolverine, um macho de 9 anos, assim apelidado por conta das cicatrizes que marcam sua cauda, também foi achado morto. Dias mais tarde, Comet, um macho de 34 anos, apareceu sem vida ao lado de uma fêmea desconhecida de 11 anos prestes a se tornar sexualmente madura. As carcaças de duas outras baleias foram avistadas perto da ilha Anticosti e da península Gaspé na última semana de junho. Exceto por Punctuation, as autoridades canadenses ainda não sabem quais foram as causas das mortes das baleias-francas na região. A principal suspeita é que tenham morrido por conta de complicações, como fraturas e infecções, decorrentes de lesões causadas por acidentes com barcos. Outra hipótese é que tenham se sufocado com redes usadas para a pesca de lagosta e caranguejo. Essa é uma das principais causas de morte de baleias-francas no hemisfério Norte (Diseases of Aquatic Organisms, 20 de junho).

Republish