guia do novo coronavirus
Imprimir PDF Republicar

Estratégias

Academia Sueca premia o pragmatismo

A Academia Real de Ciências da Suécia optou pela praticidade. Em 1999, alguns dos trabalhos ganhadores pareciam tão intrincados que o holandês Martinus Veltman, um dos premiados em Física por seu trabalho na área de mecânica quântica, declarou queos benefícios sociais de sua teoria eram “absolutamente nulos”. Neste ano, a academia premiou outro perfil de pesquisa. Os trabalhos dos ganhadores de Química, Física, Medicina e Economia de 2000 têm importante aplicação prática. Veja por que eles foram escolhidos.

Física: O inventor do chip, o norte-americano Jack Kilby, da Texas Instruments, levou metade dos US$ 915 mil do prêmio. O alemão naturalizado americano Herbert Kroemer, de 72 anos, da Universidade da Califórnia, e o russo Zhores Alferov, de 70, do Instituto Físico-Técnico Ioffe, de São Petersburgo, dividiram a outra metade do prêmio. Eles desenvolveram um novo tipo de semicondutor usado em comunicações via satélite, telefones celulares, CD-ROM e leitores de código de barras. Alferov declarou que a premiação é o “reconhecimento à física russa e soviética”. Explica-se: além de cientista, ele édeputado pelo Partido Comunista russo.

Química: Alan Heeger, de 64 anos, e Alan MacDiarmid, de 73, norte-americanos, e o japonês Hideki Shirakaw, de 70, descobriram como conduzir eletricidade pelo plástico no fim dos anos 70. O primeiro é pesquisador da Universidade da Califórnia, o segundo da Pensilvânia e o último de Tsukura. Com os polímeros condutores, como é chamado esse material, será possível baratear toda a produção de eletrônicos de plástico. Mac Diarmid é bem conhecido dos pesquisadores do Grupo de Polímeros do Instituto de Física da USPde São Carlos com quem publicou trabalhos. O norte-americano já esteve em São Carlose é amigo e colaborador do professor Roberto Mendonça Faria, que participa de um projeto temático financiados pela FAPESP.

Medicina: Apossibilidadede se entender melhor a comunicação entre neurônios e criarmedicamentos contra doenças neurológicase psiquiátricas deu um esperado Prêmio Nobel para o sueco Arvid Carlsson,de 77 anos, da Universidade de Gotemburgo, e osnorte-americanos Paul Greengard, de 74,da Universidade Rockfeller,e Eric Kandel, de 70, da Universidade de Colúmbia. Trabalhando separadamente, eles desvendarammecanismos básicos parao funcionamento do cérebro e do sistema nervoso.

Economia: James Heckman,de 56 anos, da Universidade de Chicago, e Daniel McFadden, de 63, da Universidade da Califórnia, norte-americanos, ganharam o prêmio por terem criado métodos estatísticos para analisar as tendências de escolhas individuais daspessoas, como a profissão pela qual optam, onde morar, ou quantos filhos desejam ter. Heckman, recebeu a notícia no Rio de Janeiro, onde participouna mesma tarde de umseminário na Fundação Getúlio Vargas.

Paz e Literatura: Opresidente da Coréia do Sul, Kim Dae-jung, de 74 anos, foi o premiado com o Nobel da Paz por sua luta em favor dos direitos humanos. O de Literatura foi para o chinês naturalizado francês Gao Xingjian, de 60 anos.

Republicar