Prêmio CBMM
Imprimir PDF Republicar

Tecnociência

Anestesia contra a tristeza

Um medicamento chamado quetamina, que em doses altas funciona como anestésico, mostrou-se eficiente para combater a depressão que não cede aos antidepressivos tradicionais. Ao menos é o que sugere o resultado de um estudo preliminar conduzido por pesquisadores do Instituto Nacional de Saúde Mental dos Estados Unidos com 18 pessoas portadoras de depressão refratária. Enquanto os antidepressivos levam no mínimo duas semanas para surtir efeito nos pacientes mais sensíveis à medicação, a quetamina parece ser muito mais rápida: 71% dos participantes tratados com quetamina apresentaram redução dos sinais da depressão no dia em que receberam o medicamento. Em 35% dos casos, esse efeito durou uma semana, segundo artigo dos Archives of General Psychiatry. Apesar do resultado animador, é pouco provável que a quetamina se popularize como antidepressivo por causa dos efeitos colaterais, que incluem alucinações e euforia. Segundo os pesquisadores, esse estudo mostra a importância de se investir no desenvolvimento de medicamentos que, como a quetamina, aparentemente funcionam mais rápido porque agem sobre o neurotransmissor glutamato, que entra na fase final da cadeia de reações químicas que regulam o humor.

Republicar