guia do novo coronavirus
Imprimir PDF Republicar

Mundo

Antidepressivos absolvidos

A maioria dos episódios de suicídios de adolescentes noticiados no final do ano se deve à depressão severa não tratada ou tratada inadequadamente, não a uma reação adversa aos medicamentos, de acordo com um artigo da Nature Reviews Drug Discovery . Seus autores, Julio Licinio e Ma-Li Wong, ambos da Universidade da Califórnia, comentam as possíveis causas dos suicídios: os adolescentes poderiam estar tomando os medicamentos em doses mais baixas que o necessário ou por um período de tempo muito curto, quando seus efeitos ainda não eram notados.

Pode ter ocorrido também que os remédios não tenham sido efetivos ou possam mesmo ter contribuído para reforçar o desejo de pôr fim à vida: durante o tratamento com antidepressivos, há um momento em que os portadores de depressão ainda se sentem deprimidos, mas têm mais energia, que amplia o risco de suicídio.

A depressão é, por si só, a principal causa de suicídio: estima-se que de 60 a 70% das pessoas com depressão severa tenham pensado em pôr fim à vida e que de 10 a 15% das pessoas com depressão cometam suicídio. Segundo os autores desse estudo, uma conseqüência positiva dessa polêmica é que se tornou mais claro que a depressão requer acompanhamento médico contínuo e os antidepressivos não deveriam ser vistos como formas cosméticas de tratamento.

Republicar